Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 18 de janeiro de 2009

Síndrome de Dorothy

"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar a lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver... Il faut aller voir - é preciso ir ver! É preciso questionar o que se aprendeu. É preciso ir tocá-lo." - Amyr Klink

A parte que eu mais gosto das palavras do navegador é a que fala sobre sentir a distância para estar bem sobre o próprio teto. Por mais curta que seja a distância, por pior que seja o teto.

Viajar é bom. Conhecer o desconhecido, reviver o conhecido; os mesmos lugares nunca são os mesmos, os outros lugares sempre têm um quê de mistério. É difícil não voltar saudosa de uma viagem. Saudosa do mundão que foi explorado e também do mundinho particular.

A nossa casa é em todo lugar, mas não há lugar como nosso lar.

Um comentário:

Clarinha disse...

_ Lê?
_ Quê?
_ I want to get away, I want to get awaaay...from here!
_ Páraaaa!
_ Lê?
_ Quê?
_ Volta logo.