Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Táticas de conquista



Quando voltei à vida de solteira, logo me deparei com um dilema. Ter opinião ou fazer cara de paisagem quando algum carinha te diz uma frase sem noção? Logo optei pela primeira alternativa. Depois de alguns meses, entretanto, tive que rever minhas estratégias. Primeiro por que o mundo anda tão permeado de gente sem noção que, optando por confrontá-los, é provável que você fique discutindo a noite toda. Depois por que entendi que é necessário dar uma segunda alternativa aos homens. Eles andam confusos e freqüentemente dizem melecas. Aquela chegada linda, onde o camarada sabe exatamente o que dizer, tem piadas inteligentes, te faz sentir interessante, é sexy na medida... aquilo é raro, muito, muito raro. Se eu fosse fazer uma estimativa, diria que acontece em menos de 2% das vezes.
Portanto, no afã de “socializar” um pouco mais, decidi ser um pouco mais tolerante. Fiquei pensando, cá com meu lado crítico, que eu tinha era baixado a guarda, ou o padrão, se preferirem. Mas esses dias, assistindo ao Discovery Channel, descobri que essa minha tática é padrão entre as mulheres. De acordo com a pesquisadora Martin Hazelton, da Massey University, a ciência diz o seguinte: qualquer leigo é capaz de dizer se, no jogo da paquera, um homem está interessado em uma mulher. O contrário, entretanto, não é verdadeiro. As mulheres dão corda na linha, deixam o camarada falar. Assim, é muito difícil saber se elas estão verdadeiramente interessadas ou não. A explicação é simples. No primeiro momento, o homem está interessado no básico: se a mulher é bonita, se está em forma, se é sexy, etc. A mulher não. Desde o primeiro momento, ela dá aquela conversadinha, quer saber se o fulano é bacana, se não é um idiota. Enfim... nosso desejo não é tão linear. Resumindo, nossa amiga Emle tem uma frase ótima: os homens se conquistam pelos olhos e as mulheres, pelo ouvido. Não é tão simples, mas é por aí.

Um comentário:

Emle Graciano disse...

Menina... acho que na verdade a gene tenta se conquistar tambem. Todo dia. Conquistar, usando a ideia do texto da Clarinha,o melhor de nos, que espera que o outro veja e tome a iniciativa de nao ficar calado, mas de dizer, oras! A proposito, amei o novo formato do blog. Esta lindo! bjo.